Bem-vindo!

 

Esta é a página de apoio aos livros de Cálculo Financeiro escritos em língua portuguesa da autoria ou coautoria de Rogério Matias.

 

Todas as sugestões e comentários que entenda enviar acerca dos livros ou desta página são apreciados e tidos em conta.

 

Obrigado pela sua visita.

 

 


Nota: os conteúdos desta página e os relativos à 4ª edição do livro "Cálculo Financeiro. Teoria e Prática" serão progressivamente redigidos segundo o Novo Acordo Ortográfico. Os respeitantes às edições anteriores deste livro bem como os relativos às restantes obras seguem a ortografia anterior. Os conteúdos enviados por utilizadores (Fórum, Testemunhos, etc.) respeitam a ortografia original, tal como enviada pelos seus autores.

 

 
Testemunhos Enviar
Carlos Miguel Costa Leme 2010-03-26 BASTOTAMEGA LDA Sócio Gerente (TOC) Sou um antigo aluno da ESTV do IPV, do curso de Gestão, infelizmente não fui seu aluno mas segui a sebenta da sua autoria, essa sebenta tem-me servido para a vida prática.
Ver todos
 
Termo do dia Ver Glossário
Renda perpétua
Diz-se habitualmente que uma renda é perpétua se o seu número de termos é ilimitado. É uma má definição. É preferível dizer que uma renda é perpétua se o seu último termo já não acrescentar valor significativo ao valor actual (global) da renda (numa renda perpétua só faz sentido calcular o respectivo valor actual, não o valor acumulado). É perfeitamente possível que uma renda com 100 termos, por exemplo (número limitado e baixo, portanto) possa ser considerada como "perpétua" (basta que a taxa seja suficientemente elevada para que o valor actual do 100º termo se aproxime de 0). No fundo, o que determina se uma renda é perpétua ou temporária não é (apenas) o número dos seus termos, mas sim o número de termos e (também) a taxa considerada.
(c) 2014 Rogério Matias. Todos os direitos reservados.